Avisos coloridos

Uma das coisas de que eu mais gosto, na Protecção Civil, é o facto de eles nos protegerem dos perigos.

Outra das coisas de que eu mais gosto é o sistema de cores, para os avisos. Já pensaram como seria se houvesse, na Protecção Civil, um designer para determinar as cores dos avisos?

- Aviso amarelo? Mas amarelo quê?

- Amarelo.

- Pois, já percebi, mas pode ser amarelo sol, amarelo girassol, amarelo girafa, amarelo manga, amarelo canário.

- Não tens amarelo perigo?

E se, por outro lado, houvesse avisos coloridos da Protecção Civil, mas para várias situações da vida, em vez de apenas nas condições meteorológicas?

(Geraint Rowland/Flickr)

Um gajo ia jantar com amigos. Um restaurante pacato, comida caseira, uma garrafa de bom vinho, para acompanhar. A dado momento, alguém sugere pedir uma segunda garrafa. Aparece um senhor da Protecção Civil, a emitir um alerta amarelo, para o perigo de aquela garrafa poder potenciar algum descontrolo. O amigo mais fixe da mesa diz que não há motivo para preocupar. “É só mais uma, está tudo controlado.”

O jantar continua e a segunda garrafa pede mesmo, mesmo, uma terceira. Aparece o senhor da Protecção Civil, a emitir um alerta amarelo, para o perigo de aquela garrafa poder aumentar os riscos já potenciados pela segunda. O amigo mais fixe da mesa diz “Não há problema, eu levo o carro!”.

O jantar termina com oito garrafas vazias em cima da mesa. Doze minutos para os amigos fazerem a conta. Ninguém consegue saber quanto dá a cada um. Um dos amigos decide fazer a conta sozinho. Aparece o senhor da Protecção Civil, bêbado. “Alerta amarelo! A conta vai ser mal feita.”

A conta sai errada. Pagam quase tanto de gorjeta como pela comida. Saem do restaurante e dirigem-se ao carro. O senhor da Protecção Civil tem uma sugestão. “Alerta amarelo: conheço um bar onde há umas gajas mesmo boas.”

Vão ao bar e continuam a beber. A cada copo, o senhor da Protecção Civil emite um alerta de cor diferente. Segundo o próprio, para “dar mais animação aos avisos”.

Um dos amigos desentende-se com um indivíduo que está no bar. O senhor da Protecção Civil avisa: “Alerta amarelo: vais levar um sopapo desse gajo, se continuas a falar assim”.

O amigo leva um sopapo. “Alerta vermelho: o nosso amigo desligou, por uns minutos. Vamos dar início aos procedimentos.” Acabam todos à chapada, ignorando os procedimentos.

No caminho de regresso, são interceptados por uma “Operação Stop”. O senhor da Protecção Civil sai do carro, a cambalear, e diz: “Alerta vermelho: estamos fodidos. Os senhores agentes da autoridade vão multar o condutor. Vamos todos para a esquadra”.

Moral da história: nunca saias com um gajo da Protecção Civil. O jantar estava controlado até ele fazer o primeiro aviso.

Comentários