Dez medidas que melhorariam a circulação automóvel*

A Associação pela Mobilidade Urbana em Bicicleta (Mubi, que é a forma como alguém de Braga diz “filme” em Inglês) defende que, em caso de acidente entre uma bicicleta e um carro, mesmo que a culpa seja do ciclista, deve ser sempre o automobilista a pagar os estragos e, em consequência, o seu seguro deve ser agravado.

(consumerfriendl/Flickr)

Ora, eu não sei andar de bicicleta mas, em compensação, consigo pensar com alguma facilidade. Por isso, e acreditando que esta ideia conseguiria fazer jurisprudência, vou propor dez medidas vanguardistas.

1) Sempre que alguém bater no meu carro, deve pagar-me, para além da reparação do veículo, umas férias em local à minha escolha, para ressarcir-me do stress causado.

2) Sempre que Júptiter se alinhar com Saturno, eu tenho prioridade sobre todos os veículos deste planeta. Veículos construídos para alienígenas não entram nestas contas.

3) Nos dias pares do mês, posso estacionar em qualquer lugar.

4) Se um ciclista bater no meu carro, só pagarei os estragos se ele adivinhar em que número estou a pensar.

5) Sempre que parar num semáforo que fique em frente a um café, posso ir tomar qualquer coisa, sem que ninguém buzine para eu tirar o carro da via.

6) Em dias de calor, qualquer automobilista que tenha ar condicionado no carro deve dar-me boleia.

7) Quando o meu carro for para o mecânico, todos os proprietários de veículos de alta cilindrada devem deixar-me dar uma volta nos seus carros. A volta poderá durar entre uma e cinco vezes o tempo que o meu carro estiver na oficina.

8) Se eu for capaz de citar, de memória, todas as selecções que venceram o Mundial, desde 1930, fico isento de portagem durante dez anos.

9) Quem me telefonar ou enviar uma mensagem, enquanto eu estiver a conduzir, ficará responsabilizado por qualquer acidente que eu possa ter naquele ano.

10) Se eu for capaz de citar, de memória, todas as equipas que venceram a Liga dos Campeões, desde 1995, nenhuma bomba poderá negar-me gasolina.

*Melhorariam a minha experiência de circulação automóvel.

Comentários